Somente para a Justiça Estadual

Segundo a Instrução 186/90 de Corregedoria de Justiça de Minas Gerais, os cartórios ou secretarias de juízo deverão possuir um livro próprio, de folhas soltas, para coletar nomes de peritos das diversas profissões e especialidades, de tradutores e intérpretes atualizados, pelo menos, anualmente, com os seguintes dados básicos: função, qualificação, nome, especialização, sigla e nº da entidade profissional, R.G., CPF, nacionalidade, naturalidade, data de nascimento, endereço residencial, bairro, cidade, telefone, atividade funcional, qualificação, órgão/setor, endereço (escritório e/ou comercial), bairro, cidade, telefone e outras observações.

Para a inscrição neste livro, os peritos deverão apresentar certidões comprovando seu credenciamento e situação junto ao órgão da classe a que pertencem, bem como as especializações a que estão legalmente habilitados. As certidões deverão ser renovadas anualmente.

Para maiores informações sobre este assunto, leia o LIVRO MANUAL DE PERÍCIAS, disponível para aquisição neste site.