Assunto bem explorado no LIVRO MANUAL DE PERÍCIAS
 
A perícia surge da exigência que o juiz e as partes envolvidas num processo têm de esclarecer fatos, situações e coisas, utilizando-se a técnica e a ciência da maneira mais apropriada. Nela mostra-se a veracidade de alguma coisa, baseando-se em fundamentos técnicos, científicos e normativos que são materializados na redação do laudo. Fazem parte da perícia os atos praticados pelos peritos para que os objetivos sejam alcançados, tais como a vistoria e o exame de documentos.

Vistoria é a verificação física, in loco, do objeto da perícia, a fim de averiguar o estado, situações e conjunturas que deram origem à perícia designada. Até o momento do início da vistoria, o perito geralmente não tem necessidade obrigatória de estudar as origens e causas.

Quando a perícia necessiatr de vistoria ou exame de pessoas e documentos, essas diligências serão conduzidas, empregando-se perspicácia e minúcia pessoal, a fim de que sejam razoavelmente elucidados os fatos. Com o prudente entendimento delas, possibilitará ao perito, a perfeita consecução do laudo, além de economizar tempo de trabalho.

A prova pericial se inter-relaciona com as demais provas constantes nos autos do processo.

As vistorias, exames e outras diligências são obrigações de cumprir promovidas no campo e são preparatórias à atividade final, que é a redação do laudo, tornando-se digno observar as recomendações contidas no livro Manual de Perícias sobre o tema.

Para maiores informações sobre o assunto perícias e de como acessar o mercado, leia o LIVRO MANUAL DE PERÍCIAS, disponível para aquisição neste site.