1. Como camada de isolamento térmico sobre telhados, lajes de coberturas e terraços: poderá ser aplicado com a espessura uniforme ou formando caimentos de até 5%. Como enchimento de câmaras vazias. Isolamento térmico e redução da transmissão de ruídos e vibrações à estrutura. Na confecção de blocos, peças premoldadas, caixão perdido,etc.: permite uma maior dimensão das peças pela sua menor densidade em relação ao concreto.

2. Como camada de isolamento térmico em lajes de cobertura e terraços. Pode ser aplicado com espessura uniforme ou formando caimentos (desnível) de até 5%. Como enchimento de câmaras vazias entre paredes ou de rebaixos em lajes, proporcionando, simultaneamente, isolação térmica e redução da transmissão de ruídos e vibrações à estrutura.

Confecção de blocos para construção de casas e peças pré-moldadas para lajes, etc.

3. Permite a redução da relação água/cimento. Acelera e torna mais fácil o lançamento. Aumenta a resistência à compressão inicial e final devido à redução da água de empastamento. Permite a redução do teor de cimento, mantendo a mesma resistência nominal do traço. Na indústria de pré-moldados diminui o tempo de ocupação dos moldes (desforma em menor tempo). Melhora o acabamento superficial das peças moldadas pela redução das falhas de concretagem. Diminui a energia requerida para a cura do concreto quando a mesma é acelerada por aquecimento.

4. Assentamento de alvenaria em muros e paredes (argamassa 1:7 a 1:9).

Execução de emboço, reboco ou concreto (argamassa 1:4 - 1:8 e 1:3 para concreto). Assentamento de abóbadas e blocos (pela sua coesão). Preparo de argamassa de cimento e areia, sem cal, terra de emboço ou barro.

5. Para argamassas, fluidifica a massa, possibilitando a redução da relação água/cimento, e permitindo a redução do cimento do traço, reduz a permeabilidade à água, aumento de rendimento de 5 a 10%. facilita o bombeamento e a projeção da massa . Melhor acabamento, mais rápidos e uniformes, promove a aderência, evitando rachaduras e trincas, melhora a fixação à base, resistência à abrasão.

6. Para argamassas, promove a aderência, evitando rachaduras e trincas, impede o desprendimento do chapisco, mesmo em superfícies vitrificadas, como base para forros, paramentos, argamassas de regularização e enchimento, etc., aumenta a impermeabilidade, dispensa o uso de cal ou saibro.

 

1. Espumogen N

 1 - DEFINIÇÃO

AIS-TEXSA é uma espuma de cimento desenvolvida pela TEXSA, obtida pela mistura do Aditivo Aerante ESPUMOGEN e uma aguada de Cimento Portland.

Sua peparação é feita no próprio local da obra, com equipamentos especiais que permitem produção em bateladas ou contínua.

O produto final, curado, AIS-TEXSA, apresenta um número infinito de pequenos alvéolos formados por diminutas bolhas de ar, uniformemente distribuídas em toda a massa, conferindo baixa densidade e propriedades isolantes ao produto, sem alterar as características do cimento utilizado. Dessa forma, permite que o AIS-TEXSA apresente uma resistência à compressão superior a dos produtos concorrentes similares ou a outros produtos isolantes, tais como, espumas plásticas, lã de vidro, etc.

2 - DADOS TÉCNICOS

O AIS-TEXSA, produzido a partir de 350 a 400 kg/m³ de Cimento Portland CPII 32, apresenta as seguintes características:

Condutividade Térmica:

() = 0,079 Kcal/m h °C a 33,9°C ou 0,0679 W/Km a 307,05 °K.

Densidade (endurecido e seco) = 400 a 450 Kg/m³.

Resistência à compressão = 6 a 8 Kgf/cm² ou 0,59 a 0,78 MPa..

Possibilidade de trânsito sobre a área: aos 3 dias de aplicado, já suporta o trânsito necessário para permitir a aplicação de 1cm de argamassa para resistir à punção.

Coeficiente de Transmissão Térmica (K): obtido em função da espessura da camada de AIS-TEXSA.

É calculado pela expressão:

K = E , onde: é a Condutividade Térmica e E

a espessura em metro, por exemplo :

K = 0,079 = 3,95 Kcal/m2 hº Cm.

OBS.: Dependendo da finalidade a que se destina, o AIS-TEXSA poderá ser preparado com maior densidade e resistência à compressão, bastando reduzir a água do traço.

 3 - APLICAÇÕES

Como camada de isolamento térmico sobre telhados, lajes de coberturas e terraços: poderá ser aplicado com a espessura uniforme ou formando caimentos de até 5%.

Como enchimento de câmaras vazias entre paredes, banheiras de hidromassagem ou de rebaixos em lajes: proporciona simultaneamente isolamento térmico e redução da transmissão de ruídos e vibrações à estrutura.

Na confecção de blocos, peças premoldadas, caixão perdido,etc.: permite uma maior dimensão das peças pela sua menor densidade em relação ao concreto.

OBS.: As alvenarias levantadas com blocos de AIS-TEXSA apresentam características de isolamento térmico e acústico, além de contribuírem com uma menor carga à estrutura.

4 - INSTRUÇÕES PARA USO

4 .1 COBERTURAS E TERRAÇOS - como camada de isolamento térmico:

4.1.1. O AIS-TEXSA pode ser usado diretamente sobre a laje ou sobre a manta asfáltica. A segunda alternativa deve ser a preferida, pois protege a manta do aquecimento do raio solar.

4.1.2. AIS-TEXSA APLICADO SOBRE A LAJE.

Estende-se a pasta sobre a superfície na espessura desejada, numa camada uniforme ou já com caimentos obtidos pela colocação de "mestras".

Após ser atingido o nível desejado, regularizar a superfície do AIS-TEXSA.

Se a aplicação for feita em camada uniforme, é conveniente que sejam criadas juntas de 2 a 3 mm de largura, que atuarão como juntas de contração. No caso da camada ser aplicada já com caimentos, as juntas poderão ser dispensadas, pois ao serem retiradas as "mestras" e os vazios preenchidos com a pasta do AIS-TEXSA, a retração que se produzirá pela cura já será suficiente para estabelecer a devida separação.

Deverão ser deixadas juntas de 3 a 15 mm de largura, acompanhando o perímetro de todos os paramentos existentes na área, tais como parapeito, mureta, etc., e distanciados dos mesmos de 10 a 15 cm,

Sobre a espuma AIS-TEXSA deve ser aplicada uma argamassa de regularização de cimento e areia, no traço 1:7, preparada com aditivo MORTER, com o acabamento final liso, sem queimar com cimento. A finalidade deste revestimento é formar uma capa resistente ao puncionamento e que pode servir de substrato quando as mantas asfálticas precisarem ser aderidas, o que é necessário quando se usa mantas autoprotegidas, MORDAL ou MORTER-PLAS ALUMÍNIO. Quando a proteção final a ser aplicada sobre a impermeabilização for pesada, tipo plaqueamento ou piso nobre, e a superfície do AIS-TEXSA ficar bem acabada, pode-se dispensar a argamassa de regularização e colocar as mantas asfálticas diretamente sobre o AIS-TEXSA, situação esta que precisa ser avaliada na obra.

4.1.3. AIS-TEXSA aplicado sobre a manta asfáltica.

A espuma cimento AIS-TEXSA pode ser aplicada sobre a manta asfáltica, sem risco de encharcamento, valendo as mesmas recomendações acima citadas. É necessário executar um piso sobre o AIS-TEXSA ou colocar seixos rolados ou brita como proteção pesada

5 - ENCHIMENTO DE VAZIOS

5.1 - Em rebaixos ou lajes de piso: encher com AIS-TEXSA até o nível desejado, prevendo o espaço necessário para a aplicação, após a sua cura, de uma argamassa resistente à punção como contrapiso, conforme descrito no item 4.1.2.

5.2 - Entre duas paredes: encher o vazio em etapas de 40 cm de altura, à medida que se levanta a alvenaria, tomando cuidado para que as testeiras do pano estejam seladas. A pasta do AIS-TEXSA deverá ser vertida de pouca altura (30 a 40 cm), e a pele superficial que se forma deverá ser arranhada antes que seja levantado novo lance de alvenaria.

6 - CONFECÇÃO DE BLOCOS

A pasta do AIS-TEXSA, por sua fluidez, permite a execução de diversos tipos de pré-moldados de baixa densidade e com excelentes características isolantes.

Para a confecção de blocos de 0,20 x 0,40 x 0,10 m, recomendamos a preparação da fôrma, utilizando um tabuleiro MADEIRIT absolutamente plano, dispondo sobre o mesmo, nas dimensões dos blocos, ripas de madeira encaixadas entre si, aproveitando ao máximo a área do tabuleiro. Os encaixes das ripas deverão ser feitos de forma a permitir sua posterior remoção, após a cura do AIS-TEXSA.

É recomendado que a superfície do tabuleiro e das ripas seja tratada com um desmoldante, (DESMOLTEXSA) o que permitirá um melhor acabamento superficial da peça. É recomendado também o rejuntamento da periferia das formas com uma massa de barro vermelho, de forma a evitar vazamentos e perdas de material.

7 - CARACTERÍSTICAS

  • Fácil preparação e aplicação no próprio local da obra.
  • Excelente isolamento térmico.
  • Quimicamente inerte.
  • Boa redução acústica.
  • Incombustível, à prova de apodrecimento.
  • À prova de insetos (besouro), etc.
  • Excelente resistência à compressão.

8 - PREPARAÇÃO DO AIS-TEXSA

8.1 - Material necessário:

Aditivo aerante ESPUMOGEN. Cimento Portland, Água.

8.2 - Equipamento necessário:

Betoneira AIS-TEXSA para produção em bateladas de 1/3 m³.

Máquina de produção e bombeamento contínuo AIS-TEXSA.

OBS.: Equipamentos desenvolvidos e produzidos pela TEXSA.

8.3 - Traço padrão do AIS-TEXSA:

Água ..................................................70 litros

Cimento ..............................................100 kg

Aditivo aerante ESPUMOGEN ...............1 litro

OBS.: Este traço corresponde a uma carga padrão da Betoneira AIS-TEXSA.

Tempo de mistura: 10 min.

TRAÇO PARA MISTURADOR.

Equipamento: Furadeira industrial

Hélice: especial (consultar o fabricante)

Água ................ 35 litros

Cimento ........... 50 kg

Aditivo aerante Espumogen - 600 ml

Tempo de mistura: 8 min.

Processo: Misturar a água e o aditivo durante 5 minutos, em seqüência, sem parar de misturar, adicionar aos poucos e partes do cimento marcar mais 3 minutos de mistura.

OBS: Durante o processo a mistura

8.4- Tempo de cura: semelhante ao concreto. Após 3 dias, dependendo do tipo de cimento utilizado e da temperatura ambiente, podem ter seqüência outros trabalhos sobre o AIS-TEXSA. Sendo usado como camada de isolamento térmico sob impermeabilizações, poderá ser recoberto, 72 h após sua aplicação, com mantas asfálticas. Se durante este período ocorrer chuva, é recomendável aguardar o tempo necessário para que volte a secar.

Cura total – 28 dias.

9 - ADITIVO AERANTE ESPUMOGEN

9.1 - Características: líquido orgânico, cor marrom café, com odor característico, solúvel em água em qualquer proporção.

10 - EMBALAGEM

Baldes - 20 L - 20 kg líquidos.

Tambores -200 L - 180 kg líquidos.

 2. Espumogen CBN e CBB

 1 - DEFINIÇÃO

Aditivo espumante para fabricação de concreto celular " in locu " AIS-TEXSA.

2 - CARACTERÍSTICAS

CBN - Inorgânico (sem odor característico).

CBB - Inorgânico (sem odor característico) para bombeamento.

Aspecto: Líquido

Cor: Vermelho escuro

O aditivo ESPUMOGEN, misturado à água e ao cimento Portland, produz o concreto celular AIS-TEXSA, que é uma espuma leve de cimento desenvolvida pela TEXSA. Sua preparação é feita no próprio local da obra, em equipamentos especiais que permitem produção em batelada ou contínua. O produto final curado, AIS-TEXSA, apresenta um número infinito de pequenos alvéolos formados por diminutas bolhas de ar, uniformemente distribuídas em toda a massa, conferindo baixa densidade e grande propriedade isolante ao produto, que resiste a 800oC, enquanto o isopor resiste a 70oC, e o poliuretano expandido a 120oC. Suas características são as seguintes:

  • Densidade (endurecido e seco) = 750 kg/m3 a 850 kg/m3
  • Resistência à compressão = 16 kgf/cm2 a 20 kgf/cm2
  • Resistente ao fogo e não tóxico.

3 - APLICAÇÕES

Como camada de isolamento térmico em lajes de cobertura e terraços. Pode ser aplicado com espessura uniforme ou formando caimentos (desnível) de até 5%.

Como enchimento de câmaras vazias entre paredes ou de rebaixos em lajes, proporcionando, simultaneamente, isolação térmica e redução da transmissão de ruídos e vibrações à estrutura.

Confecção de blocos para construção de casas e peças pré-moldadas para lajes, etc.

4 - MODO DE USAR

AIS-TEXSA é produzido por meio de misturadores construídos especialmente para esta finalidade. Existem três tipos, conforme a produtividade desejada. O que as três máquinas têm em comum, é agitar cimento, água e o aditivo ESPUMOGEN de uma maneira em que o ar é introduzido na mistura e forma um líquido cremoso que, ao hidratar o cimento, resulta em um produto de bom desempenho.

5 - RENDIMENTO

O traço padrão é constituído por:

- Água: 70,0 litros

- Cimento Portland CPII 32 = 100 kg

- ESPUMOGEN: 1,0 litro

Geralmente são necessários de 12 a 13 sacos de cimento para 1,0m3 de concreto celular AIS-TEXSA

NOTA.: Menor relação água/cimento = maior resistência de compressão, e menor capacidade isolante.

6 - EMBALAGEM

Baldes - 20 L - 20 kg líquidos.

Tambores - 200 L - 180 kg líquidos.

3. Fluitexsa

 1 - DEFINIÇÃO

O aditivo FLUITEXSA é um líquido de cor âmbar, solúvel em água, isento de cloretos, com o peso específico de 1,2 g/cm³.

Devido ao seu alto poder umectante e fraca tendência à formação de espuma, é recomendado como aditivo adensante e superplastificante para concretos, permitindo a redução da água necessária para o empastamento e produzindo um aumento significativo da resistência à compressão inicial e final da massa curada.

2 - PRINCIPAIS VANTAGENS

FLUITEXSA adicionado à água de empastamento de concretos, oferece as seguintes vantagens:

  • Permite a redução da relação água/cimento.
  • Acelera e torna mais fácil o lançamento.
  • Aumenta a resistência à compressão inicial e final devido à redução da água de empastamento.
  • Permite a redução do teor de cimento, mantendo a mesma resistência nominal do traço.
  • Na indústria de pré-moldados diminui o tempo de ocupação dos moldes (desforma em menor tempo).
  • Melhora o acabamento superficial das peças moldadas pela redução das falhas de concretagem.
  • Diminui a energia requerida para a cura do concreto quando a mesma é acelerada por aquecimento.
  • Praticamente não interfere no tempo de pega e nem contribui para a corrosão da armadura do concreto.

3 - MOTIVAÇÕES DE USO

FLUITEXSA adicionado à massa do concreto durante a sua preparação, proporciona os seguintes benefícios:

3.1 - Economia de cimento:

A resistência à compressão pré-estabelecida para um concreto estrutural poderá ser atingida com traços contendo menor teor de cimento, se em sua preparação for adicionado, à água de empastamento, o aditivo FLUITEXSA na proporção recomendada.

Por exemplo:

Um concreto produzido com 7 sacos de cimento/m³, contendo 3,5 kg de FLUITEXSA adicionados à água de empastamento, tem a sua relação original de água/cimento reduzida em 20%, isto é, de 0,44 para 0,36 sem alteração do SLUMP.

Como conseqüência, há um aumento de 40%, em média, da resistência à compressão prevista, que se observa desde as primeiras 24 horas de cura do concreto.

Para se restabelecer a resistência à compressão inicialmente desejada, a quantidade de cimento do traço poderá ser reduzida em 15%, ou seja, 1,05 saco de cimento economizado por m³ de concreto produzido com o aditivo FLUITEXSA.

3.2 - Economia de combustível:

Experiências têm demonstrado que é possível uma indústria de pré-moldados, utilizando FLUITEXSA nos traços de concreto, reduzir em 50% o tempo de cura a quente e ainda alcançar a desejada resistência à compressão.

3.3 - Economia de tempo:

FLUITEXSA pode aumentar espetacularmente a fluidez ou SLUMP de concretos, facilitando e tornando mais rápido o seu lançamento, sem prejudicar sua resistência e durabilidade. A aceleração do lançamento do concreto proporciona, além da redução do custo de mão-de-obra para uma determinada tarefa, a redução do tempo de ocupação de equipamentos de elevado custo.

4 - DESEMPENHO

FLUITEXSA atua como um fluidificante, promovendo a dispersão das partículas de cimento pela eliminação das forças de coesão que as atraem, o que possibilita um aumento de fluidez da massa. Este efeito é chamado plastificação.

VANTAGENS :

  • Redução do consumo de cimento
  • Redução do tempo de permanência nas formas
  • Redução do consumo de combustível (no caso da aceleração da cura por aquecimento)
  • Redução da relação água/cimento em 20%
  • Redução do tempo de tracionamento das ferragens em protendidos
  • Melhor acabamento superficial do concreto pela diminuição do índice de falhas
  • Aumento da resistência à compressão do concreto em 40% (à partir das primeiras 24 horas de cura).
  • Aumento da fluidez e da plasticidade da massa fresca, facilitando o seu bombeamento.

5 - PRINCIPAIS USOS DO FLUITEXSA

5.1 - Na fabricação de pré-moldados e protendidos.

5.2 - Na fabricação e transporte de concreto.

Os concretos preparados com FLUITEXSA apresentam maior facilidade de escoamento e maior coesão, permanecendo a massa com a relação água/cimento constante pela ausência de segregação ou precipitação da água.

FLUITEXSA pode converter um concreto de 3" de abatimento num concreto de 8", sem perda de sua resistência à compressão e sem necessidade de aumentar a água de empastamento. Seu uso reduz o trabalho necessário para o lançamento do concreto em áreas confinadas, grandes vigas, lajes, paredes verticais, murros altos, etc.

Como um super plastificador, FLUITEXSA proporciona à mistura do concreto uma excelente plasticidade, facilitando o bombeamento e o lançamento nas formas da massa fresca.

Com FLUITEXSA se consegue a redução do fator água/cimento, sem perda do SLUMP, o que aumenta a resistência inicial e final do concreto. FLUITEXSA é atóxico e não espumante. Sendo produzido sinteticamente, apresenta suas características dentro de limites constantes.

Usado na quantidade recomendada, não altera significativamente o calor de hidratação do concreto e nem contribui para a corrosão das armaduras ou o desenvolvimento de fungos.

6 - DOSAGENS

A quantidade de FLUITEXSA a ser adicionada à massa é calculada em função do teor do cimento do concreto. Na maioria dos casos, o efeito desejado é alcançado com a adição de 1% em peso do FLUITEXSA em relação ao peso de cimento (0,5 kg de FLUITEXSA para 50 kg de cimento), para traços de 300 a 350 kg de cimento/m³.

Para se obter a máxima vantagem do aditivo, recomendamos que sejam feitos traços experimentais variando as quantidades do cimento e dos agregados. Os resultados obtidos, dependendo da finalidade desejada, determinarão o traço ideal e a melhor relação água/cimento.

Para a correção de um SLUMP insuficiente recomendamos aumentar o percentual de FLUITEXSA ao invés de aumentar a água.

Isto vai permitir que seja estabelecido o percentual mais adequado de FLUITEXSA, para a mais elevada resistência possível do concreto.

7 - MODO DE USAR

Os melhores resultados são obtidos adicionando-se o aditivo FLUITEXSA, na quantidade pré-determinada, no final do empastamento do traço.

São necessários 1 a 2 minutos de mistura em betoneiras eficientes.

No caso de concretos preparados em moto-betoneiras, adicionar o aditivo 5 a 7 minutos antes do lançamento.

8 - ARMAZENAMENTO

O tempo máximo é de 12 meses na embalagem fechada, em local resguardado das intempéries.

9 - EMBALAGEM

Galões - 3,6 L - 4kg líquidos

Baldes - 20 L - 20 kg líquidos

Tambor - 180 L - 180 kg líquidos .

 4. Morter CB

 1 - GENERALIDADES

MORTER é um líquido avermelhado, para ser usado como aditivo no preparo de argamassas.

O produto é acrescentado à água do traço.

A ação do MORTER é puramente físico-mecânica, não intervindo na reação química do cimento, que permanece inalterada.

2 - PROPRIEDADES

Confere grande plasticidade à massa, permitindo a execução de trabalhos com argamassa pobre que utilize areia pura, sem cal, barro ou saibro.

Aumenta a impermeabilidade e a aderência do revestimento, evitando perdas na aplicação.

Mantém a argamassa coesa e pastosa por várias horas, sem que a areia sedimente, dispensando a necessidade de virar o traço no meio tempo.

Provoca ainda total hidratação do cimento e aumenta o volume da argamassa em mais de 12%.

OBS.: Nas argamassas ricas de cimento, para concreto, usar somente 20 ml, no máximo, por saco de cimento. O volume aumentará em 3%.

O aditivo MORTER confere a argamassa e ao concreto, grande trabalhabilidade, coesão e aderência, com melhoria de resistência mecânica e economia de mão de obra e material.

3 - CARACTERÍSTICAS

Aspecto: líquido de cor vermelha escura.

Densidade a 20° C: 1,032 ± 0,002

Viscosidade a 25° C: 1,8 cp ± 0,5 cp

Solubilidade em água: total

Solubilidade em solventes:

solúvel em álcool;

insolúvel em tolueno e benzeno

Índice de acidez: pH = 10

Teor de cloretos: isento

Teor de sulfatos: isento

4 - APLICAÇÕES

Assentamento de alvenaria em muros e paredes (argamassa 1:7 a 1:9).

Execução de emboço, reboco ou concreto (argamassa 1:4 - 1:8 e 1:3 para concreto).

Assentamento de abóbadas e blocos (pela sua coesão).

Preparo de argamassa de cimento e areia, sem cal, terra de emboço ou barro.

Deve-se ter em conta um aumento médio de volume de 12% a 18% nas argamassas e de 3% no concreto.

5 - ARGAMASSA PARA REBOCO

As argamassas convencionais podem ser substituídas por argamassas aeradas sempre com vantagem. A plasticidade obtida pelo uso do MORTER elimina o uso da cal e os inconvenientes de sua utilização, além da possibilidade de permanecerem partículas da cal, não totalmente extintas, na massa.

6 - MODO DE USAR

Despeja-se a água na betoneira. Com esta em movimento, despeja-se o MORTER, seguido do cimento e da areia. Pode-se também misturar previamente o MORTER com toda a parte de água, para depois se adicionar o cimento e a areia. Lembre-se de que a homogeneidade ocorre com 210 rotações da betoneira.

Quando a argamassa é preparada sem o uso da betoneira, proceder assim :

1° ) Adicionar o MORTER com água em um balde e agitar bem a mistura.

2° ) Despejar a mistura no cimento pré-misturado com as areias fina/média/grossa e " bater " bem a argamassa.

7 - RECOMENDAÇÕES SOBRE EMPREGO

Molhar bem os materiais (paredes, tijolos, etc.) antes de se aplicar à argamassa, especialmente no verão, em climas quentes ou em trabalhos ao sol.

As argamassas aeradas exigem este cuidado mais do que as convencionais, pois contêm menos água. O rendimento é de 250 ml por saco de cimento para argamassa pobre e de 20 ml a 50 ml para argamassa forte.

Obs: Nos traços, usar areia fina, média e grossa e, no máximo, 27,5 litros de água por saco de cimento.

8 - QUANTIDADE DE COMPONENTES DA ARGAMASSA POR M ³

10 - EMBALAGEM

Baldes - 20 L - 20 kg líquidos.

Tambores - 200 L - 180 kg líquidos.

 5. Morter - Slip

 1 - CARACTERÍSTICAS

Líquido âmbar de odor característico, solúvel em água.

Atóxico, não inflamável e isento de cloretos. Adicionado à água do traço oferece as seguintes vantagens:

  • Efeito tenso-ativo: facilita a molhagem dos agregados e do cimento, fluidificando a massa, possibilitando a redução da relação água/cimento, e permitindo a redução do cimento do traço, mantendo a mesma resistência final da argamassa especificada.
  • Efeito plastificante: permite a formação de micro-células de ar no interior da massa, reduzindo sua permeabilidade à água, e produzindo um aumento de rendimento de 5 a 10%.
  • Efeito fluidificante: facilita o bombeamento e a projeção da massa fresca pelo seu maior deslizamento nas tubulações, reduzindo o desgaste do equipamento.
  • Melhor acabamento: as argamassas contendo MORTER-SLIP possibilitam acabamentos mais rápidos e uniformes, sem trincas de retração.

2 - MODO DE USAR

Adicionar 0,5% de MORTER-SLIP em relação ao peso do cimento, independente do traço de argamassa (250 ml de MORTER-SLIP por saco de 50 kg de cimento).

Para se obter o total efeito do MORTER-SLIP é indispensável o uso de betoneira ou similar. O produto deve ser adicionado por meio de um dosador no início do traço, junto com água de empastamento.

OBS.: O uso do MORTER-SLIP em argamassas a serem bombeadas não elimina o uso de agregados plastificantes, sendo recomendada a adição de, no mínimo , 20% de pozolanas ou similar, em relação ao volume da areia do traço, dependendo da qualidade da areia utilizada.

Para maiores informações consulte o nosso Departamento Técnico.

3 - EMBALAGEM

Baldes - 20 L - 20 kg líquidos

Tambores - 180 L - 180 kg líquidos.

6. Plastop-Graut

1 - DEFINIÇÃO

PLASTOP-GRAUT é uma emulsão de homopolímeros modificados, desenvolvido pela TEXSA, que confere plasticidade e impermeabilidade aos agregados de cimento em geral ou a misturas de cimentos especiais, promovendo a aderência em superfícies de difícil fixação sujeitas à vibração ou trepidação.

É recomendado para o empastamento do cimento impermeabilizante STOP-MORTER L, conferindo maior plasticidade e pegajosidade à massa pronta, além de aumentar também sua aderência e flexibilidade após a cura.

2 - PROPRIEDADES

O aditivo PLASTOP-GRAUT adicionado a agregados de cimento ou a cimentos especiais, confere à massa as seguintes propriedades:

  • Plasticidade - aumenta a plasticidade da massa fresca, evitando a formação de trincas ou rachaduras após a cura.
  • Estanqueidade - sela os poros da massa, evitando a penetração de água por capilaridade, mesmo em elevadas pressões.
  • Aderência - promove a aderência da massa a todos os materiais de construção, mesmo em superfícies vitrificadas. Em superfícies lisas de concreto desformado, recomendamos uma imprimação prévia do aditivo PLASTOP-GRAUT por meio de uma trincha ou broxa.
  • Flexibilidade - Ensaios realizados em corpos de prova, obtidos com o cimento impermeabilizante STOP-MORTER L empastado com o aditivo PLASTOP-GRAUT , demonstraram que a película do produto final curado admite que ele seja curvado sobre um cilindro de 1" de diâmetro, sem apresentar rachaduras

OBS.: Os corpos de prova foram preparados aplicando-se, sobre um filme de polietileno, a pasta do STOP-MORTER L contendo 30% de PLASTOP-GRAUT na espessura de 1 mm. Após 48 horas a película formada foi destacada do polietileno.

Resistência à abrasão - aumenta a resistência à abrasão dos agregados, permitindo a liberação da área ao tráfego, em menor tempo.

3 - USOS E APLICAÇÕES

3.1- Como aditivo em massas finas: promove a aderência, evitando rachaduras e trincas.

3.2- Como aditivo em chapisco: impede o desprendimento do chapisco, mesmo em superfícies vitrificadas, como base para forros, paramentos, argamassas de regularização e enchimento, etc.

3.3- Como aditivo em argamassas: melhora a fixação à base, reduzindo a formação de trincas ou fissuras, aumentando a impermeabilidade e a resistência à abrasão.

3.4- Como aditivo plastificante no cimento impermeável STOP-MORTER L: promove a aderência mesmo em superfícies lisas, aumentando a plasticidade, a flexibilidade e a impermeabilidade da camada aplicada.

3.5- Como aditivo de concreto 1:3:3: aumenta a impermeabilidade e a plasticidade da massa, permitindo um melhor acabamento superficial.

3.6- Como aditivo na argamassa de assentamento: aumenta a plasticidade da massa dispensando o uso de cal ou saibro. Especialmente recomendado para o assentamento de blocos de concreto ou de espuma de cimento AIS-TEXSA (concreto celular leve).

4 - MODO DE USAR

Como aditivo do cimento impermeável STOP-MORTER L, adicionar uma mistura do aditivo PLASTOP-GRAUT, diluído em igual parte de água (4,5 kg PLASTOP-GRAUT para 30,0 kg de STOP-MORTER L) na proporção de 30% em relação ao peso do STOP-MORTER L. A massa final apresenta consistência macia para aplicação como pintura.

Como aditivo de concreto (traço 1:3:3), adiciona-lo ao traço na proporção de 5% em relação à água necessária para o empastamento, melhorando a fluidez e a plasticidade da massa, permitindo um melhor acabamento superficial.

Como aditivo de argamassa e chapisco, adicionar PLASTOP-GRAUT, durante o empastamento, na proporção de 4% em relação ao cimento do traço e completar com a água necessária para o ajuste da consistência ideal de aplicação.

5 - EMBALAGEM

Baldes - 20 L - 20 kg líquidos.

Tambores - 200 L - 180 kg líquidos.