Em 1939, o Código de Processo Civil regulou a perícia contábil e outros tipos de perícias, criando assim uma fonte de empregos aos contadores. Em 1946, o Conselho Federal de Contabilidade foi constituído por Decreto Lei, assim como as atribuições do contador e a perícia contábil. Ano em que foi criado o curso superior de contabilidade.
Podemos dizer que os peritos contábeis foram os primeiros profissionais a se organizarem na atividade de perícias. Certamente, o por quê está no vasto campo de trabalho que a Justiça Cível, Justiça do Trabalho e Justiça Federal sempre ofereceram. Assim como os empregos foram gerados aos contadores, em passado mais recente, abriu-se um leque de empregos as outras profissões.

O MANUAL DE PERÍCIAS ensina a rotina e burocracia forense, além de apresentar modelos de petições e modelos de laudos que podem ter a sua forma copiada pelos contadores, engenheiros, médicos e outros, considerando-se que há uma escassez de bibliografia deste assunto.

A escassez de matérias sobre como acessar o mercado, sobre a rotina forense e a divulgação da perícia como forma de trabalho, se deve a natural reserva que os profissionais fazem do mercado em que atuam. O trabalho é pouco divulgado, pois tomam conhecimento deles poucas pessoas, como juízes e advogados, sendo, também, um dos fatores que torna os meandros da atividade pouco conhecida, além de que os empregos das perícias são pouco conhecidos.