Esta seção apresenta a seleção alguns comentários, pedidos de informações sobre perícias, MANUAL DE PERÍCIAS e o CURSO PERÍCIAS JUDICAIS que recebemos por e-mail pelo formulário eletrônico Fale Conosco.

PROFISSSIONAIS SEM EXPERIÊNCIA EM PERÍCIAS JUDICIAIS

COMO SER PERITO

EXEMPLO DE SUPORTE A QUEM ADQUIRIU O MANUAL DE PERÍCIAS

SEGURANÇA DO TRABALHO

DÚVIDAS DE CONTADORES

DÚVIDAS DE AMBIENTALISTAS

DÚVIDAS DO ADMINISTRADOR

DÚVIDAS DE ECONOMISTAS

COMENTÁRIOS

SE É NECESSÁRIO CURSO, CONCURSO OU VÍNCULO A ALGUMA INSTITUIÇÃO

PEDIDO DE INFORMAÇÕES SOBRE O CURSO PERÍCIAS JUDICIAIS

SE É NECESSÁRIO CURSO SUPERIOR PARA SER PERITO

ESTUDANTES PODEM FAZER O CURSO PERÍCAIS JUDICIAIS

PROPOSTA DE PARCERIA

INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE PERÍCIAS JUDICIAIS


PROFISSSIONAIS SEM EXPERIÊNCIA EM PERÍCIAS JUDICIAIS

Rubens é engenheiro mecânico com especialização em segurança do trabalho, se interessou pelo MANUAL DE PERÍCIAS, mas gostaria que déssemos uma dica: como acabou de se formar, não seria meio precoce começar a trabalhar como perito judicial?

MP - Parabéns pela especialização. Você poderá desempenhar a função de perito da Justiça do Trabalho, que é semelhante à atividade e rotina do perito da Justiça Cível. Na Justiça Cível não é necessário especialização, portanto você poderá ser completo como perito.

Quanto à experiência, vá em frente, pegue os primeiros trabalhos, procure e faça parceria com os mais experientes. Ninguém nasce sabendo, quase todas a perícias necessitam de estudo da matéria. Você tem as ferramentas básicas que são proporcionadas pelo seu curso de engenharia. Caso o assunto necessite consultores, contrate e cite no laudo. - Eu faço isto e tenho 18 anos de experiência como perito e 21 anos de formado.

O Alexandre tem 10 anos de formado, é engenheiro e possui conhecimento dentro do judiciário, estava procurando um perito mais experiente para associar-se sem remuneração, somente com a intenção de aprender.

MP - O bom relacionamento no judiciário é um elemento muito importante para obter a nomeação de perito. Você deve estudar a matéria e após procurar os juízes e solicitar a nomeação da primeira perícia. Após a primeira, bem realizada, o juiz verá a boa qualidade de seu trabalho e começará a nomeá-lo. Não creio que você necessite primeiro trabalhar com um perito experiente. Entendo que o estudo do MANUAL DE PERÍCIAS lhe daria as condições necessárias para conversar com os juízes, a fim de conseguir nomeações, e realizar os primeiros trabalhos, pois ele foi concebido para, exatamente, isto, dar condições a quem não conhece nada sobre perícias.

Emerson, engenheiro, está interessado em prestar serviços de perícias. Atualmente tem emprego com horário flexível e crê que não terá problemas quanto a horários. Gostaria de algum contato que seja perito em sua cidade para eu ter uma idéia melhor do trabalho a ser executado, como por exemplo, horas de trabalho por semana, tipo de perícia, etc, e nos pergunta se poderíamos fornecer esta informação.

No momento não temos nenhum profissional cadastrado de Campinas. Sugerimos telefonar para a Primeira Vara Cível de Campinas, ou Segunda Vara Cível do Foro, solicitado nome de peritos engenheiros que tem sido nomeados nestas varas. Será natural encontrar resistência de peritos já estabelecidos em fornecer informações.

COMO SER PERITO

Elber queria saber como poderia ser perito.

MP - O perito é sempre nomeado pelo juiz. O interessado deve procurar os juízes e solicitar nomeação. Porém é salutar o profissional ter conhecimento da área antes de fazer contato com os juízes.

Cláudio trabalha com regulação e liquidação de sinistros para o mercado securitário, pergunta se existe possibilidade de ser perito judicial para regulação de sinistros, quais seriam os requisitos, pois se trata de matéria não existente em faculdades.

MP - Realmente, em geral as faculdades e até mesmos os cursos de perícias não informam a rotina e burocracia forense. O MANUAL DE PERÍCIAS trata disso e de tudo que é necessário no trabalho do perito, além do mercado e outros assuntos de vital conhecimento.

Para ser perito judicial não é preciso curso ou concurso, basta ser nomeado pelo juiz.

Há perícias onde é necessário peritos especializados em sinistros, assim como assistente técnico das partes.

EXEMPLO DE SUPORTE A QUEM ADQUIRIU O MANUAL DE PERÍCIAS

A Contadora E. havia adquirido o MANUAL DE PERÍCIAS, necessitando do suporte técnico que oferecemos, precisava de uma resposta urgente. Era assistente técnica em de um processo de prestação de contas e queriam saber quais eram os direitos dela nesse processo, como ter acesso aos dados e se poderia pegar documentos para trabalhar no escritório, pois estava encontrando dificuldades junto ao perito nomeado pelo juiz, que se negava a liberar documentos, até mesmo xerox. Ainda perguntava como ia fazer o laudo sem ter os documentos e como deveria proceder.

MP - (Resposta imediata por telefone e e-mail) Isto, o que está ocorrendo, é muito grave. Pode estar ocorrendo um cerceamento de defesa da parte que você é assistente técnica.

Você deve peticionar ao juiz, expondo que não está conseguindo estudar os autos (processo), e peticionar, ainda, para que o juiz lhe de vistas e carga dos autos, assim como prazo.

A advogada S. havia ingressado com ação por danos morais e materiais em face de um empregado de uma empresa ser morto por acidente enquanto trabalhava e uma máquina fixa. Deveria apresentar quesitos e então solicitou-nos que fizéssemos algumas perguntas a fim de obter um bom êxito.

MP - Pouco conhecendo este processo, sugiro os seguintes quesitos (verifique a pertinência):

1. Descreva, o Sr. Perito, detalhadamente, como acontecia a rotina de trabalho do acidentado e daqueles que trabalhavam com a prensa, se possível, fazer croqui?

2. Quais as medidas de segurança que poderiam ser tomadas para que não acorresse o acidente?

3. Nestas medidas de segurança, poderiam ser incluídos dispositivos elétricos/eletrônicos/mecânicos?

4. A empresa continua realizando o mesmo trabalho com a mesma prensa?

5. Se continua realizando o mesmo trabalho, informe se a rotina das pessoas que trabalham com a prensa foi alterada e com isso melhorando a segurança?

6. Se, atualmente, a prensa foi substituída ou o método de produção não exige mais a prensa, poder-se-ia afirmar que a alteração foi devido à prensa anterior não oferecer segurança ao trabalhador?

Caso a parte tenha condições, sugiro nomear assistente técnico, que poderá indicar quesitos.

Informe, após, o que concluiu a perícia, talvez possa tecer algum comentário.

Tenha um bom trabalho.

SEGURANÇA DO TRABALHO

Augusto pergunta: como pode ser perito da Justiça do Trabalho? O MANUAL DE PERÍCIAS é válido para essa área?

MP - A atividade do perito da Justiça do Trabalho é idêntica a do perito da Justiça Cível, em ambos os casos não é necessário concurso público. Porém, para ser perito da Justiça do Trabalho é necessário curso de pós-graduação em engenharia de segurança. Para Justiça Cível não é necessário qualquer curso. Em ambos o juiz faz a nomeação, é uma escolha pessoal dele. Portanto, você pode ser perito na Justiça do Trabalho e Justiça Cível. Todas estas explicações, de forma mais aprofundada, como ser perito judicial, rotina e burocracia forense, estão no MANUAL DE PERÍCIAS. O manual é voltado para quem quer ser perito da Justiça Cível, porém grande parte de seu conteúdo é válida para a Justiça do trabalho.

DÚVIDAS DE CONTADORES

Márcio é contador, pergunta: o MANUAL DE PERÍCIAS, sendo concebido por engenheiro, pode ser utilizado pelo contador.

MP - O manual contém rotina forense, burocracia, como solicitar para ser perito, modelos de pedidos honorários, honorários adiantados, quesitos, anexos e diversos outros assuntos de interesse do contador.

O manual possui ainda modelos de laudos de engenharia, que a sua forma e apresentação podem ser copiadas para serem utilizadas em laudos contábeis.

O Manual de Perícias foi concebido, também, para atender os contadores que não possuem bibliografia que encerre os tópicos propostos.

Portanto, embora o MANUAL DE PERÍCIAS contenha assuntos de engenharia, ele é indispensável ao contador que deseja ser perito e ser bem sucedido já no seu início.

Antonini, contador, queria saber se alguns dos capítulos do manual também podem ser usados na área de perícia trabalhista. Por exemplo, os capítulos 1.1 e 1.2

MP - Sim, estes itens e outros podem ser utilizados na Justiça do Trabalho, pois a rotina e trabalho do perito na Justiça do Trabalho e Justiça Cível são semelhantes.

DÚVIDAS DE AMBIENTALISTAS

Marcelo é engenheiro florestal e questiona sobre o MANUAL DE PERÍCIAS e as perícias ambientais.

MP - O MANUAL DE PERÍCIAS não trata especificamente de assuntos técnicos das diferentes áreas da engenharia. Ele contém toda a rotina burocrática forense, como acessar o mercado, como receber adiantamento de honorários, modelos de laudos para serem copiados (trocando apenas o tema), petições, entre muitos outros assuntos de obrigatório conhecimento. - Tudo que o perito precisa, além de servir aos mais experientes.

A perícia ambiental tem crescido muito nestes últimos anos. Os ministérios públicos estaduais estão cada vez mais se aparelhando com técnicos da área ambiental, as exigências legais ambientais aumentam gradativamente, os órgãos públicos ambientais, como o IBAMA, são cada vez mais exigentes, as "ongs" ambientais aumentam em número e se profissionalizam, em função de recursos advindos de diversas áreas, tudo isso faz o mercado prosperar.

Em termos de futuro, quando o Brasil voltar a crescer de forma significativa e sem sobressaltos, haverá uma agressiva expansão industrial, com surgimento de indústrias novas e aumento de antigas que, desordenadamente, se instalarão ocasionando danos ao meio ambiente. Isto, além da necessidade atual de novas empresas e instalações de médio e grande porte serem obrigadas a apresentar relatórios de impacto ambiental em grande quantidade de vezes.

Agnaldo é engenheiro florestal, está atuando como profissional liberal na área ambiental e deseja entrar no ramo das perícias judiciais, solicitou que indicasse o material para iniciar a atividade. Observou que o conteúdo do manual continha laudos de especialidade diferente da sua e questionou sobre a dificuldade em receber honorários quando o Ministério Público é autor. Perguntou ainda se nós daríamos suporte após adquirir o manual.

MP - Você está num ramo que está em alta, o da área ambiental.

O MANUAL DE PERÍCIAS foi concebido exatamente para os que querem iniciar na área de perícias, - é um material completo.

Os modelos de laudos apresentados são para serem copiados na sua forma, sendo deixado de lado o conteúdo, portanto servindo a qualquer segmento profissional. Nas ações em que o Ministério Público é autor, o perito não recebe adiantamento de honorários na grande maioria dos casos, só recebe os seus honorários muito tempo depois. Porém, disto você pode tirar vantagem de reciprocidade com o juiz. A perícia ajuda o profissional liberal frente ao mercado. Na compra do MANUAL DE PERÍCIAS completo, damos suporte técnico por determinado tempo nas perícias que o profissional venha realizar.

Alcione é engenheiro químico e se interessa em ser perito em questões ambientais, a exemplo dos desastres ecológicos.

A perícia ambiental está em alta. Um bom início, para adquirir experiência e torná-se conhecido como profissional liberal na área ambiental, é ser perito judicial, depois uma coisa leva a outra. Vá em frente.


 Aguinaldo, engenheiro florestal, com mestrado, trabalhou na iniciativa privada e em um órgão estadual de Meio Ambiente, como gerente regional de proteção à biodiversidade e como gerente regional de monitoramento e controle e nesta atividade tive contatos com promotores que solicitavam serviços de perícias ambientais para que fossem feitas pelos técnicos do órgão ambiental, sem receber honorários tendo em vista que os promotores não tinham como remunerar os serviços de um perito. A justificativa sempre foi que apenas o juiz pode contratar os serviços de um Perito Liberal. Atualmente está exercendo a profissão como profissional liberal e visando ampliar a prestação de serviços tem um grande interesse em tornar-me um perito.  A partir do expôs, gostaria que fizéssemos uma consideração e indicasse o material necessário para o inicio da atividade.

Você está num ramo que está em alta. Nas ações em que o Ministério Público é autor, o perito não recebe adiantamento de honorários na grande maioria dos casos e só recebe os seus honorários muito tempo depois. Porém, disto você pode tirar vantagem de reciprocidade com o juiz. As perícias ajudam o profissional liberal frente ao mercado. O MANUAL DE PERÍCIAS foi concebido exatamente para os que querem iniciar na área de perícias e serem bem sucedidos desde o seu início, é um material completo. Os modelos de laudos apresentados são para ser copiados na sua forma, sendo deixado de lado o conteúdo, portanto servindo a qualquer segmento profissional. Na compra do MANUAL DE PERÍCIAS completo, damos suporte técnico por determinado tempo nas perícias que o profissional venha realizar. Quanto à  especialidade de sua profissão, o juiz nomeia quem ele quer, a pessoa tem que ser apenas de sua confiança. Por exemplo, sou engenheiro civil, veja alguns tipos de perícias que realizei: avaliação de jóias, avaliação de lavouras e florestas, agrimensura e agronomia, incêndio, naval, entre outras.

COMENTÁRIOS

O Administrador Romualdo nos enviou o seguinte e-mail.

Olá, meus amigos, sou perito judicial, administrador de empresas, com especialização nas áreas cível e trabalhista, e o "folder' de vc's fala em contadores, engenheiros, etc", e nunca sita administradores. Gostaria de lembrá-los que o administrador preenche todos e quaisquer requisitos para fazer uma perícia. Conforme certidão de habilitação profissional expedida pela CRA/RS (Conselho de Administração do RS), nossa qualificação é dada de acordo com a Lei nº 4769 de 09/09/1965, parágrafo 2 º do artigo 145 do Código de Processo Civil, com redação dada pela Lei 7270 de 10/08/1984 r Resolução Normativa n º 224 de 12/08/1999, do Conselho Federal de Administração. Esta habilitação nos habilita para realizar perícias, judicial ou extrajudicial, sobre matérias pertinentes aos campos da Administração, tais como: Administração e Seleção de Pessoal/Recursos Humanos, Organização e Métodos, Orçamento, Administração de Material, Administração Financeira, Administração Mercadológica, Administração de Produto, Relações Industriais e outros campos em que se desdobrem ou aos quais sejam conexos, bem como apuração de valores nos processo cíveis e trabalhistas, ainda que na fase de liquidação de sentença. Quando objetivem a constatação de atos e fatos, a partir de documentos administrativos entranhados ao processo. Também podendo atuar como Síndico em Falências e também comissário em concordatas. No caso de falências, o perito, por exigência legal, deverá ser um contador.

Sendo o que tínhamos para o momento,

Atenciosamente,

MP: Após o recebimento do e-mail, promovemos a retificação imediata.

O jornal Valor Econômico nos enviou comunicado sobre indicação de nosso site.

Olá,
 Estou enviando esta mensagem para avisá-lo que se site (www.manualdepericias.com.br) está entre os sites indicado da edição de amanhã, 20 de julho de 2001, sexta-feira, da seção Sites do Caderno Legislação e Tributos do jornal Valor Econômico. Lembramos que tal caderno circula apenas nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Um abraço,

 Henrique Gomes Batista
 Valor Econômico - Legislação e Tributos

DÚVIDAS DO ADMINISTRADOR

João é administrador de empresas, funcionário do Banco do Brasil há 24 anos, gostaria de saber se teria alguma chance em atuar como perito contábil ou similar, mais precisamente com cálculos na área trabalhista, pois gosta de matemática. Pergunta, ainda, onde estaria o mercado para esse profissional, por exemplo, na cidade dele? Que contatos ou com quem deve faze-los? Como verificar a demanda para esses serviços?

MP: Os peritos são nomeados pelos juízes, sendo de confiança deles. Os profissionais devem procurá-los e oferecer-se como perito. Para o sucesso nestes contatos, é importante o domínio da rotina e burocracia forense. A área dos administradores que há mais perícias e a da Justiça do Trabalho. Faça contato com os foros trabalhistas de sua localidade para verificar a demanda. Esta pesquisa deve ser sua.

DÚVIDA: SE É NECESSÁRIO CURSO, CONCURSO OU VÍNCULO A ALGUMA INSTITUIÇÃO

Paulo e engenheiro eletricista e tem interesse em atuar como perito judicial, a dúvida dele é se é necessário prestar concurso público ou estar vinculado a alguma instituição ou emprego e como a Justiça vai saber que ele existe para poder solicitar seus serviços.

MP: Não é necessário curso, concurso, ou estar vinculado a qualquer instituição para ser perito judicial. Os peritos são nomeados pelos juízes, sendo de confiança deles. Os profissionais devem procurá-los e oferecer-se como perito.

PEDIDO DE INFORMAÇÕES SOBRE O CURSO PERÍCIAS JUDICIAIS


 Massimiliano visitou nosso site, achou muito interessante e procurou saber mais com amigos promotores e juízes que possui. A área de atuação dele é a de Informática e notou carência de tal profissional para a função de perito. Daí surgiu-lhe interesse e dúvidas que gostaria de sanar conosco: Ele ainda não possuo diploma de curso superior na área de informática, mas trabalho a vários anos sendo que nos últimos cinco sou gerente de informática, ele gostaria de saber se existe a possibilidade de tornar-me perito dentro das situações as quais se encontra. Também gostaria de saber por qual razão o curso ministrado por nós não ocorrerá em Belo Horizonte.

MP: Se você tem amigos juízes, você já tem um bom começo.

O Código de Processo Civil exige curso superior, porém quando em determinado assunto não haja profissional com essa qualificação, o juiz pode nomear outro sem curso superior. Portanto, se você tem prática em determinada área específica, creio que há possibilidade de ser nomeado perito.

O curso em Belo Horizonte está nos planos para 2002.

O MANUAL DE PERÍCIAS foi concebido para atender aqueles que não têm oportunidade de fazer um curso. Ele é suficiente para a atividade. Caso você venha adquirir o manual e frequentar o curso após, o valor pago pelo manual é descontado do valor da inscrição.

Aguinaldo pretende adquirir o MANUAL DE PERÍCIAS e diz que o ideal para ele era fazer o CURSO PERÍCIAS JUDICIAIS, pois assim teria o Certificado, ainda que tenha que arcar com um custo. Pergunta se existem planos no sentido de darmos este curso a distância (Via internet) com emissão posterior de Certificado. Está para começar o primeiro módulo do curso de avaliação de impacto ambiental que nesta primeira etapa irá tratar das perícias ambientais, abordando temas como esquema de ação para passivos, emissões e meio de propagação e Valoração dos recursos naturais.


 No momento não está previsto o CURSO PERÍCIAS JUDICIAIS pela Internet em curto prazo, porém a nossa rota se direciona para lá, aguarde.

É NECESSÁRIO CURSO SUPERIOR PARA SER PERITO

Lucélia é aposentada, sempre trabalhou na área administrativa / financeira e possui o curso superior de Economia incompleto. Ela pergunta, há possibilidade de eu ingressar neste trabalho?

MP: Via de regra, os peritos devem possuir curso superior completo, porém dependendo da localidade, se não possuir profissional com esta qualificação, poderá então o juiz nomear profissional sem curso superior.

Cláudio visitou nossa home page e achou interessantes as informações contidas, e queria saber se há possibilidade de tornar-se perito ou assistente técnico. Ele é profissional liberal, formado como técnico em mecânica e possui registro no Crea.

MP: Os peritos devem possuir curso superior completo, porém dependendo da localidade, se não possuir profissional com esta qualificação, poderá então o juiz nomear técnico de segundo grau. Porém, o código de processo civil não impede o assistente técnico que não tenha curso superior.

Janda gostaria de saber se só podem ser peritos os profissionais citados no site. Ela é formada em letras vernáculas com Inglês, se pode tornar-se perita, precisa necessariamente ter nível superior para ser perito.

MP: Regra geral, é necessário possuir curso superior para ser perito. Porém, dependendo da qualificação, os juízes podem nomear técnicos de segundo grau. Não temos, no momento, nenhuma informação sobre Tradutor Juramentado em inglês, porém é um excelente mercado, pesquise em seu estado.

ESTUDANTES PODEM FAZER O CURSO PERÍCAIS JUDICIAIS

Ramos está no quinto ano de engenharia civil e  gostaria de saber o seguinte: Se pode fazer o curso ,sendo estudante;  se após a conclusão terá total possibilidade de executar os laudos; como vemos o campo das perícias; se para ser perito não precisa conhecer a área como um todo, ou seja, não precisa ser engenheiro; se após concluir a faculdade poderá fazer um laudo, mesmo sem curso, os R$ 990,00 podem ser parcelado em 3 vezes.

O valor da inscrição do curso, com desconto, é R$ 450,00. Para ser perito é necessário curso superior completo. O recém formado pode ser perito. Creio que o curso seria interessante a você. Não é necessário curso para ser perito, porém quando forem realizados os contatos com os juízes solicitando a nomeação é muito importante o conhecimento da área.

PROPOSTA DE PARCERIA

Edílson é médico, está terminando o curso de direito, tem boa experiência em perícia judicial, seja perito judicial, seja assistente técnico, seja como autoridade administrativa do INSS que julga por exemplo os laudos de insalubridade e gostaria de saber se temos interesse em estabelecer alguma forma de parceria e se temos alguma idéia de juntarmos nossas experiências. Está adquirindo alguns capítulos do MANUAL DE PERÍCIAS para enriquecer seus conhecimentos e ao mesmo tempo adapta-los a realidade médica.

MP: Estamos interessados em parceiro que coloque no site matérias de interesse do perito-médico, nesta página, além delas, iriam uma foto de boa qualidade do perito-médico e seu e-mail.  As matérias devem ser genéricas e curtas a fim de dar, apenas, uma idéia geral, pois entendemos que o internauta, que visita nosso site, procura informações em textos curtos.

DÚVIDAS DE ECONOMISTAS

Saulo pergunta por que os profissionais formados em Ciências Econômicas não foram mencionados para habilitar-se como peritos judiciais? Caso seja possível, favor informar-lo, pois está interessado, mesmo porque é economista, atua na área de seguros em geral e está cursando o 5° período do Curso de Direito.

Incluiremos em nossa próxima alteração do site os economistas, pois estes podem, como todos os que possuem curso superior, realizar perícias.

INFORMAÇÕES SOBRE O CURSO PERÍCIAS JUDICIAIS

Nossa representante em Salvador, que deu suporte ao CURSO PERÍCIAS JUDICIAIS, quando de sua realização, nos fez diversas perguntas, cujas respostas serviriam para transmitir aos interessados em participar do curso em caso de questionamento deles.

O apanhado de perguntas está muito bom e por isso resolvemos colocá-lo nesta página Perguntas & Respostas, ele sintetiza as primeiras dúvidas e informações com que as pessoas que não possuem nenhum conhecimento da área se deparam.

1. Advogados fazem parte do público alvo?

MP: Não, o curso é voltado para engenheiros e arquitetos. Porém contadores, médicos, administradores e economistas aproveitariam o curso em cerca de 70%, devido o curso ser genérico. Possivelmente, sejam raros os cursos que ensinem a burocracia forense a estes profissionais, como nos propomos oferecer.

Um dos grandes diferencias de nosso curso, comparado a outros, é que nós damos aulas práticas de manuseio e análise de processos fictícios, pois o perito trabalha com laudos, que são anexados a processos judiciais, e corrente disso os peritos são obrigados a manusear e conhecer processos.

2. Se não fazem, eles seriam contratantes do Perito Judicial?

MP: Os contratantes (modo de dizer) de peritos são os juízes, que os nomeiam para cada processo. Os advogados podem contratar assistentes técnicos. Além disso, existem outros mercados decorrentes ou similares das perícias judiciais, que são abordados no curso.

3. Qual a certificação que recebe a pessoa participante deste curso? Serão assistentes técnicos ou peritos?

MP: Serão como peritos,

4. Do IBAPE/BA – Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias fazem parte peritos que podem ser contratados para uma perícia, seriam eles concorrentes diretos de seu curso?

MP: O IBAPE é uma associação de peritos e avaliadores de imóveis. Eles também organizam cursos com professores vindos de outros estados.

5. Com base no conteúdo programático precisamos, em linhas gerais, das seguintes respostas:

Como é nomeado o perito judicial?

MP: O juiz, como não domina os diversos assuntos profissionais, nomeia um perito para elaborar um laudo. Cada laudo é específico para um processo judicial. E, para cada laudo, é nomeado um perito. Um juiz pode nomear diversos peritos para diversos processos em que é julgador. De maneira geral, há um perito para cada processo. Um juiz pode nomear, também, somente um perito da área de engenharia para trabalhar em todos os processos em que exijam conhecimentos de engenharia. Como acessar o juiz, debatemos no curso.

6. Como o profissional é contratado?

MP: Por nomeação. Não há vínculo empregatício, funciona como um profissional liberal. A vantagem é que pode se trabalhar em horários vagos, prazos dilatados, adiantamento de honorários na maior parte das vezes (mais ou menos 50%), antes de começar a trabalhar, pode ter outro emprego paralelo, ser aposentado, ter pouco tempo de formado, ser funcionário público.

7. Como se pode solicitar para trabalhar com perícias?

MP: Procurar os juízes e solicitar para que seja nomeado. É muito importante que a pessoa tenha conhecimento da área, mostrar domínio do assunto, a fim de que o juiz se convença que a nomeação do solicitante não vai ser um erro.

8. Que tipo de rotina forense se envolve o perito judicial?

MP: O perito só se comunica no processo através de petições escritas, realiza laudos, retira e entrega processos, recebe intimações, faz pedidos adiantados de honorários, reúne-se com assistentes técnicos, dirige-se constantemente aos cartórios das varas cíveis, etc.

9. Que são os assistentes técnicos das partes?

MP: Como o juiz, cada parte do processo (réu e autor) podem nomear assistentes técnicos naquele processo. Os honorários dos assistentes são pagos pela parte que nomear.

10. Mercado de trabalho dos assistentes técnicos?

MP: É muito bom, um pouco menor que o dos peritos, porém pode derivar para outros mercados.

11. Além da formação acadêmica, quais habilidades devem ter os candidatos a peritos/ assistentes técnicos?

MP: Honrado, honesto e de boas qualidades ético-morais, além de apresentar um trabalho de boa qualidade. Saber da rotina e burocracia forense é essencial para não atrapalhar o andamento do processo, do juiz e das partes. Perito que não conhece a burocracia tem grandes possibilidades de não alcançar o sucesso e de não permanecer na atividade.

12. Qual a força/respeito/perspectivas desta atividade no Brasil? E na Bahia? Em SP? Em Curitiba? (Se tiver algum dado internacional nos enviar, também.)

MP: O Brasil possui características próprias nas perícias. Não é possível ser perito noutro país, observando as regras locais. O mercado é grande em todas as capitais e cidades do interior do país. Existe uma natural rotatividade de peritos, os bons continuam a ser nomeados.

A atividade é honrada e reverenciada, porém ela é estanque, o trabalho do profissional se limita apenas a processo em que foi nomeado. Poucas pessoas lêem os laudos periciais, somente as que estão diretamente envolvidas no processo (juízes e advogados).

13. Que tipos de perícias existem, além das relacionadas à construção, terrenos... (A dúvida surgiu devido aos médicos fazerem parte do nosso público alvo).

MP: Médicos realizam perícias médicas. Por exemplo, uma empresa que possui um funcionário, este perdeu a audição no trabalho e pede indenização a empresa na Justiça Cível. O médico é chamado a apresentar laudo constatando ou não a perda de audição. O contador, administrador e economista têm bom mercado de trabalho na Justiça do Trabalho.

14. O MANUAL DE PERÍCIAS é comercializado por quem, além de Rui Juliano?

MP: Somente nós comercializamos o MANUAL DE PERÍCIAS, pois somos autor e este site é único a disponibiliza-lo.

15. Quanto a Rui Juliano, como se deu o seu processo de formação em perito (breve histórico que construí estes 18 anos de experiência)?

MP: Estudei um ano a matéria antes de pedir a primeira nomeação. Mesmo assim tinha dificuldades, que acabei superando na base do “vamos ver como é que é”, ou “na raça”. Se tivesse o Manual de Perícias na mão ou, principalmente, o curso teria enfrentado o mercado mais rápido e com mais segurança, desempenharia melhor a função, receberia os honorários mais rapidamente, etc. O objetivo de nosso curso é dar conhecimento ao profissional que deseja entrar na área. Como sempre procurei realizar um trabalho de boa qualidade, fui nomeado consecutivamente nestes 18 anos. Os bons peritos são nomeados indefinidamente - os juízes não querem ser responsáveis por nomeação de peritos que não correspondam às expectativas.