As condições de Marina O grupo de Marina Silva afirma que ela apresentará condições para não assumir “às escuras” a candidatura do PSB. A negociação passará pela escolha de um vice “confiável” para seu núcleo político. “Precisamos de garantias de que os compromissos serão mantidos e precisamos saber quem o PSB vai oferecer para simbolizar esses compromissos”, diz um aliado que conversou com ela nos últimos dois dias. Os preferidos são Júlio Delgado, Maurício Rands e Beto Albuquerque.

Moderador Para os marineiros, o novo vice precisaria preencher três requisitos: lealdade a Eduardo Campos, confiança da ex-senadora e capacidade de unir a “ala petista” e a “ala tucana” do PSB.

Compromissos Outro aliado diz que Marina “não será candidata apenas da Rede”. “Há pontos do ideário dela que não estão no programa de Eduardo e isso continuará assim. Ela não fará novas exigências, mas também não cederá completamente”.

Relógio A cúpula do PSB pré-agendou a primeira reunião formal sobre a nova chapa para o dia seguinte ao sepultamento de Campos. A previsão é que o debate ocorra segunda-feira no Recife.

Bússola Com isso, a mudança da chapa só será discutida oficialmente após a divulgação do novo Datafolha.

Carteira Alguns doadores de campanha já enviaram recados de que ajudariam Marina para assegurar que haverá segundo turno.

Verde Um amigo lembra que a ex-senadora também sofreu forte baque quando Chico Mendes morreu, em 1988, mas resistiu. “A Marina é feito bambu: o vento verga, mas não quebra”, diz.

Último desejo Renata Campos, viúva de Eduardo, manifestou a esperança de que as buscas no local da tragédia não sejam encerradas até que os bombeiros localizem a aliança do marido.

Bloco colorido

Nome da Pessoa

Função da Pessoa

Texto sobre esta pessoa.

Texto da aba

Texto da aba

Texto da aba

Texto da aba

Texto da aba

Título

Texto

Título

Texto